Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://civisa.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://civisa.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Última hora:



Mundo ► Fenómenos Naturais

Erupção do Monte St. Helens a 18 de maio de 1980 (Foto: Corbis, via Getty Images)
18-05-2020 23:30
Estados Unidos da América
Erupção do Monte St. Helens - a erupção que mudou a Vulcanologia

​Há 40 anos atrás, na manhã de 18 de maio de 1980, o vulcão Monte St. Helens, localizado no estado de Washington, entre Seattle e Portland (Estados Unidos da América), entrou em erupção. Uma violenta explosão lateral (blast) devastou a paisagem, libertando oito vezes mais energia do que a quantidade libertada pelo somatório de todos os explosivos lançados durante a Segunda Guerra Mundial, incluindo duas bombas atómicas. No total, 57 pessoas, entre cientistas, fotógrafos, montanheiros e pessoas que viviam junto ao vulcão, perderam a vida.
 
Os cientistas sabiam que algo se passava sob o vulcão. Com efeito, em menos de dois meses, uma protuberância do tamanho de uma cidade formou-se no seu flanco norte, em resultado de uma incomumente posicionada acumulação de magma. A ferocidade singular e as dimensões incomuns da erupção apanharam todos de surpresa, mostrando o quanto a Vulcanologia ainda precisava de aprender.
 
Segundo Seth Moran, cientista encarregado do Cascades Volcano Observatory (CVO) do United States Geological Survey (USGS), o evento de 1980 foi realmente um marco para a vulcanologia em larga escala.
 
A erupção teve sinais precursores. No dia 20 de março de 1980, um sismo de magnitude 4,2 marcou claramente o seu despertar. Milhares de enxames sísmicos foram detetados durante a semana seguinte, e o vulcão emitiu cinzas, por vezes atingindo até quase 5 km de altura, até que no final do mês de março, foram detetados os primeiros sinais sísmicos da movimentação de magma. Durante grande parte do mês de abril, o vulcão continuou a registar sinais sísmicos e várias outras explosões de cinzas e vapor. Mas do final de abril até ao início de maio estava estranhamente calmo, e vários cientistas deslocaram-se até ao vulcão para observar melhor.
 
No dia 18 de maio, pelas 08:32 (hora local), um sismo de magnitude 5,1 abalou o vulcão, desencadeando uma explosão lateral no flanco norte do Monte St. Helens. Uma coluna de cinzas atingiu cerca de 24 km de altitude e formou-se uma escoada piroclástica que destruiu tudo o que encontrou pela frente e matou 57 pessoas, entre as quais o vulcanólogo David Johnston do USGS, que esteve ligado ao início da exploração geotérmica na ilha de São Miguel.
 
O número de mortos podia ter sido muito mais elevado, não fosse na altura os esforços das equipas de cientistas que alertavam para a necessidade de restringir o acesso ao vulcão e que fizeram tudo o que podiam para tentar compreender o que se passava num vulcão que tinha um comportamento eruptivo tão diversificado.


Fontes


The New York Times
CVO-USGS
Wikipédia

Informação Relacionada


Imagens Adicionais


Anexos



Notícias Relacionadas


Error in WebPart: A aplicação Web não foi encontrada em http://civisa.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.Click here to edit the properties of this web part.
terça-feira, 13 de Dezembro de 2016
No final de novembro foram registados, em menos de uma semana, quatro enxames sísmicos com mais de 120 sismos no Vulcão Santa Helena. Os eventos foram todos de baixa magnitude, a maioria inferior a 0,5, e localizados a cerca de 3-6 km de profundidade. Não há registo de nenhum evento sentido pela população.   Segundo os cientistas do Cascades Volcano Observatory do United States Geological Survey (USGS), esta atividade sísmica ...
sexta-feira, 4 de Novembro de 2016
​O Monte Santa Helena, o mais ativo vulcão que faz parte do Arco das Cascatas, no noroeste dos E.U.A, e que em 1980 foi responsável pela erupção mais violenta e mortal na história do país, está a causar agora um mistério para os cientistas.   Um estudo publicado na revista Nature Communications por investigadores americanos sugere que o seu interior é relativamente frio e que o calor proveniente do vulcão está vindo de outro l...
terça-feira, 10 de Maio de 2016
Desde o dia 14 de março que se tem vindo a registar sismos (enxame sísmico) de baixa magnitude sob o Monte Santa Helena nos Estados Unidos da América, caso que leva os investigadores a acreditar que está a ocorrer outra fase de recarga de magma no sistema. Os sismos localizam-se a baixas profundidades, entre 2 a 7 km sob a cratera, variando a magnitude entre 0 a 3 na escala de Richter.   De acordo com o United States Geologica...
Error in WebPart: A aplicação Web não foi encontrada em http://civisa.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.Click here to edit the properties of this web part.