Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://civisa.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://civisa.azores.gov.pt/publicacoes. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Última hora:



Teses ► Mestrado

 

Referência Bibliográfica


BOLARINHO, R. (2014) - Análise de estabilidade do talude do Salto do Fojo com recurso a métodos determinísticos. Dissertação​ de Mestrado em Geologia do Ambiente e Sociedade, Departamento de Geociências, Universidade dos Açores, 146p.


Resumo


Fruto da localização geográfica e do enquadramento geodinâmico, os Açores têm sido marcados pela ação de diversos perigos naturais, de entre os quais se destacam, pela sua elevada frequência, os fenómenos de instabilidade geomorfológica. Na verdade, são vários os documentos históricos que relatam a ocorrência de eventos desta natureza, responsáveis pela perda de vidas humanas e significativos danos materiais, demonstrando claramente o impacte socioeconómico que este perigo geológico tem na região.
 
Nos últimos anos, mais concretamente desde o início da década de 90, o concelho da Povoação, localizado na ilha de São Miguel, tem sido particularmente afetado por eventos de instabilidade geomorfológica, os quais têm apresentado uma reincidência quase anual. Toma-se, como exemplo, o evento de instabilidade geomorfológica registado no Salto do Fojo, na freguesia das Furnas, em abril de 1996, no qual foram destruídas habitações, estradas e outras infraestruturas.
 
Para além das ocorrências recentes, são vários os documentos históricos que relatam eventos de instabilidade geomorfológica no Salto do Fojo, responsáveis pela perda de vidas humanas e significativos danos materiais. Estes eventos encontram-se catalogados na Base de Dados de Perigos Naturais nos Açores (NATHA - Natural Hazards in Azores).
 
A NATHA inclui atualmente informação sobre 7 eventos de instabilidade geomorfológica que afetaram o Salto do Fojo, dos quais se salienta o evento de 14 de outubro de 1942 por ter sido responsável pela morte de 7 pessoas e importante danos socieconómicos.
 
Com base no trabalho de campo efetuado e na leitura de trabalhos foi definida uma escala estratigráfica geral para o talude do Salto do Fojo baseada na identificação de cinco camadas geológicas principais: A - constituída por material pomítico de queda intercalado com níveis com elevada concentração de líticos; B - constituída por um ignimbrito; C - constituída por uma escoada lávica basáltica; D - constituída por um ignimbrito; e E - composta por material pomítico de queda, com níveis de intercalação entre lapilli e cinzas, caraterísticos das erupções mais recentes do Vulcão das Furnas.
 
A aplicação de métodos de base física no domínio da previsão de movimentos de vertente, nomeadamente através da articulação de modelos geotécnicos, deve ser suportada pelo estudo exaustivo e rigoroso dos parâmetros geotécnicos. Neste trabalho, foi realizada a caracterização geotécnica das cinco camadas geológicas constituintes do Salto do Fojo, cujos resultados foram incorporados na análise de estabilidade clássica, recorrendo a modelos de estabilidade.
 
A caracterização física dos materiais que compõem o talude foi determinada através da análise granulométrica, da determinação dos limites de Atterberg e da densidade das partículas, em amostras no estado perturbado. Estes ensaios permitiram a classificação dos solos do Salto do Fojo como areias argilosas.
 
Os parâmetros de resistência ao corte foram obtidos através de ensaios de corte direto consolidado, em condições drenadas, e em amostras perturbadas, e possibilitaram a determinação do ângulo de atrito interno e da coesão das partículas, essenciais para a análise de estabilidade do talude.
 
A análise de estabilidade foi efetuada recorrendo ao método das fatias de: (i) Fellenius; (ii) de Bishop Simplificado; (iii) de Janbu Simplificado; (iv) de Spencer; (v) de Morgenstern-Price; (vi) de GLE; (vii) de Corps of Engineers 1 e 2; (viii) de Lowe-Karafiath; e (ix) de Janbu Generalizado. Tais métodos não são mais do que hipóteses simplificadoras, criadas por diversos autores, baseadas no método das fatias, que permitiram reduzir o número de incógnitas do sistema, tornando-o estaticamente determinado. As principais diferenças entre os vários métodos residem nas assunções utilizadas para efetuar o balanço entre as equações e as incógnitas, a satisfação ou não das equações da estática, o tipo de superfície de rotura e o modo de inclusão das forças interfatias e a sua relação com as forças normais.
 
Através dos referidos métodos, foi efetuada a análise de estabilidade convencional com o programa SLOPE/W, com o objetivo de se determinar o fator de segurança global do perfil geológico estudado.
 
A análise de estabilidade das condições a longo prazo dos diversos setores geológicos, que incluiu a adoção dos parâmetros mecânicos e uma pressão efetiva nula, permitiu verificar que os valores do fator de segurança determinado para o plano de rotura crítico são inferiores à unidade, refletindo uma situação de desequilíbrio físico. Como tal o talude do Salto do Fojo deve ser considerado como instável.

Observações


Anexos